DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

24.3 C
Manaus
quarta-feira, janeiro 26, 2022

DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

Governo federal adia ampliação de beneficiários do Auxílio Brasil

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) não cumprirá a promessa de ampliar o número de famílias atendidas pelo Auxílio Brasil ainda em 2021. Ao contrário do que foi divulgado, ainda não há previsão para que os beneficiários do programa recebam um valor retroativo como compensação.

O plano anunciado pelo governo era começar a pagar, no mínimo, R$ 400 para mais de 17 milhões de famílias cadastradas no Auxílio Brasil a partir de novembro.

- Anúncio -

Em outubro, Bolsonaro afirmou que pretendia melhorar o renda,substituto do Bolsa Família, elevar a renda transferida à população vulnerável (de R$ 190 por mês para R$ 400) e ampliar o número de famílias atendidas (de 14,5 milhões atualmente para mais de 17 milhões).

O ministro da Cidadania, João Roma, confirmou a proposta no início de dezembro.

Leia mais:

Casa Civil descarta reajuste no valor do Auxílio Brasil

Auxílio Brasil: Caixa libera hoje o pagamento a beneficiários com NIS final 7

 

Integrantes do governo prometeram cumprir a promessa após o Congresso autorizar, por meio da PEC dos Precatórios, a ampliação de gastos e executar uma segunda rodada de pagamentos ainda em dezembro.

No entanto, técnicos do Ministério da Cidadania afirmam agora que isso não será mais viabilizado neste ano, e sim apenas na folha de pagamento de janeiro.

Ou seja, a expansão  do número de famílias atendidas só deve ocorrer no próximo mês, apesar de a PEC (proposta de emenda à Constituição) dos Precatórios ter sido promulgada nos dias 8 e 16 de dezembro e de o governo ter a intenção de ampliar o programa desde novembro.

Também não há mais a previsão de que as famílias recebam um complemento retroativo a novembro que serviria para equivaler o benefício ao valor de R$ 400 prometido pelo presidente.

O Ministério da Cidadania informou que “a expectativa da pasta é alcançar cerca de 18 milhões na próxima folha regular de pagamento [em janeiro], zerando a fila de espera, o que demonstra o compromisso do governo federal em garantir e ampliar continuamente o atendimento nas ações de proteção social para os cidadãos mais vulneráveis”.

 

Via Folhapress

 

Acompanhe nossas redes sociais

Instagram 

Facebook

Twitter 

Artigos Relacionados

Mantenha-se Conectado

1,298FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
40SeguidoresSeguir
167InscritosInscrever

Últimos Artigos