DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

   Ouça a FM 92.3
33.3 C
Manaus
domingo, outubro 24, 2021

DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

   Ouça Rádio Onda Digital FM 92.3

Caso Kimberly: Justiça marca julgamento de Rafael Fernandez

Manaus – O julgamento de Rafael Fernandez, acusado de matar a ex-miss Manicoré Kimberly Mota em maio de 2020, está marcado para o dia 27 deste mês, no Fórum Ministro Henoch Reis.

Em março deste ano, Rafael optou por ficar em silêncio e não respondeu às perguntas durante a audiência de instrução. Ele foi denunciado pelo Ministério Público pelo crime de homicídio qualificado.

- Anúncio -

Veja mais:

Justiça decide que Rafael,acusado do assassinato de Kimberly, irá a Júri Popular por feminicídio

15 anos de Lei Maria da Penha: 95% das mulheres que não denunciam acabam morrendo

O crime ocorreu em um apartamento na Avenida Joaquim Nabuco, no Centro. Kimberly, de 22 anos, desapareceu no dia 10 de maio e foi encontrada morta esfaqueada dois dias depois.

Relembro o caso

A miss Manicoré desapareceu no dia 10 de maio e foi encontrada morta dois dias depois no apartamento de Rafael, situado na área central da cidade. O corpo da jovem foi encontrado pela polícia, após amigas desconfiarem do seu desaparecimento.

O corpo de Kimberly foi encontrado com várias perfurações de arma branca no pescoço e no abdômen. Ela estava seminua e jogada no chão do quarto. Rafael não foi encontrado no local e somente após ver as imagens das câmeras de segurança do prédio, a polícia começou a tratá-lo como o principal suspeito.

Rafael que era auxiliar judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) fugiu após cometer o crime fugiu dirigindo o seu carro de luxo, um Audi branco. A polícia apurou por meio das imagens de câmeras de segurança, quen ele havia passado pelo posto de fiscalização de Jundiá, na divisa entre Amazonas e Roraima.

Durante a tentativa de fuga, Rafael pediu ajuda a um caminhoneiro que o levou até Caracaraí, onde ele pegou um táxi e foi para Boa Vista. Lá, o jovem sacou dinheiro na rodoviária e, posteriormente, pegou outro táxi em direção a Pacaraima.

Preocupados com a possíbilidade de Rafael entrar na Venezuela, para chegar até a Espanha, onde tem familiares, a polícia montou uma força-tarefa e após denúncias anônima, as equipes de segurança foram até a invasão Morro Do Quiabo, onde Rafael estava escondido em um casebre. Com ele, a polícia apreendeu dois venezuelanos que estavam ajudando o suspeito a se esconder.

Em depoimento para a polícia, Rafael confessou o crime e deu detalhes de como tudo aconteceu. Ele ainda alegou que matou a jovem por se sentir enganado e ter visto conversas de Kimberly com outros homens em seu celular. Rafael também alegou que chegou a dar dinheiro para vítima e pagar mensalidades de sua faculdade.

Após confessar e se preso pelo crime, os advogados de Rafael chegaram a pedir sua liberdade provisória no mês de junho, porém o pedido foi negado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Da redação.

Acompanhe nossas redes sociais

Instagram

Facebook

Twitter

Artigos Relacionados

Mantenha-se Conectado

1,298FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
21SeguidoresSeguir
149InscritosInscrever

Últimos Artigos