DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

   Ouça a FM 92.3
28.3 C
Manaus
domingo, outubro 24, 2021

DISQUE DENÚNCIA

92 98435-7108

   Ouça Rádio Onda Digital FM 92.3

PF faz operação contra alvo da CPI da Covid por suspeita de lavagem de dinheiro

A Polícia Federal realizou uma operação na manhã desta quinta-feira (30), para cumprir mandados de busca e apreensão na sede da empresa Global Gestão em Saúde, em Barueri, na Grande São Paulo, em uma investigação sobre um suposto esquema de lavagem de dinheiro.

A empresa pertence a Francisco Emerson Maximiano, também dono da Precisa Medicamentos, que é investigada pela CPI da Covid por denúncias de irregularidades na negociação da compra da vacina indiana Covaxin pelo governo federal.

- Anúncio -

A operação é feita em parceira com o Ministério Público e a Receita Federal.

Veja também:

CPI da Covid: empresário Luciano Hang, da Havan, presta depoimento nesta quarta-feira

Vídeo: Renan Calheiros e senador governista protagonizam discussão na CPI da Covid

A Precisa atuou como uma intermediária entre o laboratório indiano Bharat Biotech, fabricante da vacina Covaxin, e o Ministério da Saúde. A empresa nunca divulgou detalhes do contrato, incluindo o valor que arrecadaria como representante brasileira na negociação.

Em nota, os advogados de Francisco Maximiano e da Global Saúde, afirmam que não há elementos que justifiquem a operação.

“Chega a ser surreal repetir a mesma busca e apreensão pela terceira vez em 13 dias, dessa vez para ir atrás de documentos sobre o que delatores disseram que teria acontecido sete anos atrás. Não há qualquer contemporaneidade ou qualquer elemento mínimo para justificar essa operação. O que há, sim, é um oportunismo, graças ao retorno da pirotecnia em torno das operações policiais que, em tempos racionais, jamais seriam deferidas pelo Poder Judiciário, ante a manifesta ausência de fundamentação.”

Ao todo, são cumpridos oito mandados de busca e apreensão na Grande São Paulo e na cidade de Passos, Minas Gerais. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo.

Segundo a PF, o objetivo é apurar um esquema de lavagem de dinheiro e corrupção de agentes políticos em troca de apoio na contratação de empresas pertencentes aos investigados por empresas públicas do governo federal.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, o grupo investigado simulou várias operações comerciais e financeiras inexistentes para desviar dinheiro de empresas que atuam na área de medicamentos à empresas de fachada.

O dinheiro em espécie gerado por meio dessas operações eram usados para o pagamento de propina a agentes políticos em troca de favorecimento na contratação das empresas por estatais.

Os envolvidos poderão responder, na medida de sua participação nos fatos, pelos crimes de associação criminosa, corrupção ativa e passiva, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e operação de instituição financeira sem autorização.

Via G1 São Paulo.

Acompanhe nossas redes sociais

Instagram

Facebook

Twitter

Artigos Relacionados

Mantenha-se Conectado

1,298FãsCurtir
0SeguidoresSeguir
21SeguidoresSeguir
149InscritosInscrever

Últimos Artigos